Língua

idioma

Todos os arubianos são poliglotas e falam, pelo menos, 4 idiomas: papiamento, holandês, inglês e espanhol. Quando eu digo todos, eu quero dizer todos mesmo, incluindo a avó de 92 anos do meu marido, e os meus sobrinhos desde a mais tenra idade. Se você vai a uma repartição pública, ao hospital, ou mesmo a uma loja de celulares, antes mesmo de pegar a sua senha, o computador pergunta em qual dos quatro idiomas você quer ser atendido.

O idioma local é o papiamento, uma língua que se parece ao espanhol e com palavras do holandês. Eu ainda vou fazer um post específico sobre papiamento, mas agora o importante é entender como toda uma população chega a saber quatro línguas fluentemente.

Papiamento é a língua se fala em casa, nas festas, no dia a dia, nos jornais e nos dois canais de tv locais. É nessa língua que os bebês aprendem a falar suas primeiras palavras e é a língua usada nas creches e escolinhas, a não ser que os pais ponham o filho numa escola específica que fale outro idioma. Existem algumas creches e escolinhas em holandês e que eu saiba existe uma em inglês.

Mas Aruba faz parte do reino holandês e tem essa língua como idioma oficial. Isso significa que todo o ensino é em holandês e da primeira série até a universidade, todas as matérias são dadas em holandês. Até algum tempo atrás, o papiamento era proibido, coisas de colonialismo europeu. Depois deixou de ser proibido, mas não ensinado nas escolas. Faz menos de dez anos que o papiamento é ensinado desde a primeira série até o final do ensino secundário, como língua estrangeira.

Então uma criança típica vai aprender papiamento em casa, com sua família e se for à creche, essa vai ser a língua falada lá também. A escolinha para as crianças de 2 e 3 anos chama-se peuterschool e numa escola comum, o máximo de contato com o holandês vai ser através de algumas musiquinhas. A escola das crianças de 4 e 5 anos, é a pré-escola, chamada kleuterschool e é então que se começa a ensinar holandês para as crianças arubianas. Com jogos e brincadeiras, elas vão aprendendo o idioma, preparando-se para a grande mudança. Com seis anos, eles iniciam a primeira série e a partir daí, tudo vai ser em holandês, a não ser durante aulas de língua estrangeira.

E como entram o inglês e o espanhol nessa história? Aruba vive de turismo e até pouco tempo atrás os percentuais eram uns 80% de americanos e canadenses e o resto de latino-americanos e holandeses. Como a maioria das pessoas trabalha no setor turístico, falar inglês é essencial. Some-se isso ao fato de que o ensino de idiomas na escola é excelente, tanto que existem poucas escolas de idiomas aqui. Eu mesma nunca conheci um arubiano que tenha estudado numa escola de idiomas ou com aulas particulares.

Um outro fator são os meios de comunicação. Como a ilha só tem três canais de tv, o resto todo vem de fora. Aruba recebe praticamente todos os canais da tv aberta americana e a maioria dos canais por cabo. E esses canais são recebidos diretamente, o que nos permite assistir os noticiários e programas sem nenhum atraso. O que significa que aqui se assiste ABC, CBS etc e não canais como Sony e Warner que compram programas desses canais. Isso é possível porque não existe legenda nem dublagem. Com acesso à tv em inglês desde que nascem, as crianças já se acostumam com o idioma bem cedo e a maioria tem contato com inglês mais cedo e em mais profundidade que o próprio holandês. Os cinemas também passam filmes sem legenda, inclusive filmes infantis.

Em relação ao espanhol, o número de imigrantes de outros países, principalmente da Venezuela e Colômbia, é grande. Então é bem comum ouvir espanhol no dia a dia. A geração do meu marido é uma geração que cresceu com mais contato com espanhol do que a atual. Por que os canais americanos chegaram faz uns 20 anos e antes disso, todos os canais eram da Venezuela e do México. Então existe uma diferença de gerações em relação ao domínio de idioma. Os adolescentes e crianças falam mais inglês e menos espanhol que os adultos.

Outra característica arubiana é a multi-culturalidade: numa ilha tão pequena convivem pessoas de quase cem nacionalidades, por isso não é difícil encontrar pessoas que falem além das quatro línguas locais mais umas quantas. E esse vai ser o futuro da nossa filhota do alto dos seus 3 anos já fala português, papiamento e inglês como se fossem suas línguas maternas e pouco a pouco está assimilando espanhol e holandês.

Festa de arromba

Quando se vive numa ilha de 110.000 habitantes,  as opções de lazer são limitadas. Não tão limitadas quanto morar numa cidade deste tamanho, porque Aruba é um destino turístico, então tem muitas coisas: parques aquáticos, praias, cinemas, restaurantes, passeios de jipe, barco, quadriciclo, submarino, etc. Mesmo assim, os passeios normalmente são bem caros e não dá pra ficar pagando mais de $50 por pessoa cada fim de semana.

Some-se a isso o fato de que muita gente se conhece. Sabe aquele lance de cidade pequena em que todo mundo se conhece? Daí imagina que a cidade pequena é uma ilha. Comparando com a minha família no Brasil: eu tenho parentes espalhados por muitíssimas cidades e estados do Brasil. Sempre tem alguém que foi estudar em algum lugar, ou conseguiu emprego longe ou casou. Minha mãe tinha quinze irmãos, meu pai tem sete e nenhum tio ou tia morava na nossa cidade. Já aqui em Aruba, a família costuma sempre estar perto, o que significa que a família é grande. Meu marido tem catorze tios e tias que moram aqui e todos têm uma prole signficativa. E a maioria das famílias tipicamente arubianas é assim.

Então, a solução para as poucas opções de lazer acessíveis e manter o contato com tanta gente é fazer festa. Aqui se comemora tudo: aniversários, bodas de casamento, batismos, comunhões, etc. Quando eu digo que se comemora, eu não estou falando de uma festinha em casa. Porque mesmo que a festa seja em casa, não tem como existir uma festa íntima. Em primeiro lugar porque comemorar aniversários é uma algo esperado. Não tem aquela de perguntar: você vai fazer alguma coisa? Se alguém faz aniversário, todo mundo que conhece a pessoa e lembra da data pode passar para dar os parabéns. Então se você fizer aniversário, trata de comprar bebidas e providenciar uns petiscos porque o convite é desnecessário, a galera vai aparecer com certeza. No aniversário do meu marido tivemos mais de setenta pessoas em casa e isso que muita gente não veio. E não existe festa surpresa? Poucas, normalmente para ser surpresa tem que ser um dia antes.

Batismos e comunhões sempre são comemorados com uma festa gigantesca, do tipo que é preciso alugar um salão, decorá-lo e imprimir convites. Não sei se existe esse costume em algum lugar do Brasil, mas eu noto que aqui e na Espanha esses dois eventos são considerados merecedores de pompa e circunstância.

Quanto às festas de criança, é quase igual ao Brasil, com temas e brincadeiras. Acho que a única diferença é que aqui sempre tem a piñata e não sei se em algum lugar do Brasil existe esse costume.

Também merecedores de uma festa grande são os aniversários de adultos que chegam a uma idade redonda, tipo 20, 30, 40, etc. e os aniversários de casamento a cada cinco anos. Para esses dois casos, a festa também costuma ser comemorada num salão ou restaurante e são enviados convites. Que eu me lembre, no Brasil somente as bodas de prata ou de ouro são comemoradas com festa, quando são, porque a maioria dos casais que eu conheço não dá muita bola para isso.

Bolo de boda

Isso significa que a nossa vida social é agitadíssima. Às vezes temos que esperar vários fins de semana para poder ir ao cinema porque praticamente todos os sábados e domingos ou nós temos uma festa ou nossos sogros (e babás oficiais) têm.

E deixa eu ir terminando o post porque preciso sair para comprar um presente de comunhão… 😉

29 hotéis de Aruba comentados

Post atualizado em abril de 2017
Uma pergunta comum nos comentários do blog é: em qual hotel é melhor ficar em Aruba? Ou: qual o melhor hotel de Aruba? Qual a melhor zona para se hospedar? Pensando em tirar essas e outras dúvidas, eu fiz esse post. Nele todos os 29 hotéis da orla marítima estão comentados, ou por mim, ou com link para comentários de quem se hospedou neles.

zonas hoteleirasOs hotéis de Aruba se concentram em 3 zonas hoteleiras: Palm Beach, Eagle Beach e Oranjestad (o centro). Muitos hotéis de Aruba não ficam em frente à praia, eles ficam na praia. Isso significa que entre o hotel e a praia não existe uma rua ou um calçadão. Como muitas das melhores praias foram vendidas aos hotéis, pelo menos eles fizeram uma lei que obriga os hotéis a não restringir o uso da praia aos hóspedes. Essa lei diz que a praia em Aruba sempre é pública, então os moradores (e você, como turista) podem entrar nos hotéis e ir à praia, só não podem fazer uso da piscina e das cadeiras. Aproveite a sua estadia e ande ao longo da costa. Você pode conhecer e comparar diversos trechos de praia.

Hotéis de Palm Beach

Em Palm Beach, estãos os hotéis high rise, que podem chegar a 15 andares, é a única região em que se pode construir a essa altura. Em termos de praia, Palm Beach não é melhor que Eagle Beach: a praia é mais estreita e como os hotéis têm mais hóspedes, existe menos espaço disponível. Por isso alguns hotéis, inclusive cobram para reservar as palapas de primeira linha do mar. Algo, diga-se de passagem, proibido, porque a praia é pública, assim como todas as construções dela, inclusive as palapas construídas pelos hotéis. Alguns hotéis tem um placa da associação de turismo dizendo que a praia é pública, mas a maioria não respeita. De todas as maneiras, mesmo sendo mais apertadinha que Eagle, Palm Beach também é linda: areia branquinha, mar azul bebê, tudo o que alguém espera de uma praia do Caribe. Só que o grande motivo pelo qual as pessoas escolhem ficar em Palm Beach é pelo agito, não pela praia. Na própria praia de Palm Beach, tem um calçadão estreito que faz com que seja bem fácil passear pelas praias dos hotéis e parar para tomar uma bebidinha, nos vários bares de praia, tanto dos próprios hotéis, quando independentes, como os do Pelican Pier ou do De Palm Pier. E atrás dos hotéis, existe um sem número de bares, restaurantes, lojinhas pequenas e grandes, shoppings pequenos e grandes, enfim, existe uma vida noturna que dá para ir andando, sem se preocupar com carro, estacionamento e táxi. E é exatamente por essa razão que, na maioria dos casos, não vale a pena ficar em um all inclusive em Aruba. A tentação fora do hotel é grande e dá pena não aproveitar ou pagar em dobro.

palm beach

Ritz Carlton

O hotel mais a oeste de Palm Beach, na verdade, já em Hadicurari Beach é o Ritz Carlton. Esse é considerado o hotel mais luxuoso, que apresenta particularidades como um concierge dedicado a cada hóspede, que entre outros mimos, extende a sua toalha na cadeira e busca bebidas e petiscos para os hóspedes. Vale a pena para quem quiser luxo e exclusividade. Como ele fica bem afastado do centrinho de Palm Beach, talvez seja uma boa ideia pegar um táxi para sair, porque o trecho é longo e a iluminação é bem mais ou menos. Mas, durante o dia, dá para ir andando ao point de windsurf e kite surf, a praia de Hadicurari. Leia os comentários de quem se hospedou lá e faça a sua reserva aqui.

Marriott

O Marriott tem um conjunto de três hotéis: o Marriott Stellaris, o Marriot Ocean Club e o Marriott Surf Club. O Marriott é um super hotel em termos de tamanho, luxo e estrutura. O cassino é um dos maiores de Aruba e o trecho de praia é bem mais largo comparado com os outros hotéis de Palm Beach. O Marriott Stellaris funciona como um hotel convencional, enquanto o Surf Club e o Ocean Club são timeshares, especializados em famílias, com quartos com cozinha completa ou minicozinha com microondas. Os hóspedes cada um dos hotéis podem desfrutar das piscinas e da estrutura dos outros. Dos três, o único que eu me hospedei foi o Surf Club e nós gostamos bastante, tanto que eu escrevi essa review completa dele. Se você quiser se hospedar no Ocean Club ou no Surf Club, alugando semanas de proprietários e economizando até 50% do valor de uma diária normal, escreva para mim no email info@guiadearuba.com, que eu verifico a disponibilidade e os preços para o período desejado.

piscina correnteza

Piscina de correnteza do Marriott Surf Club

Holiday Inn 

O Holiday Inn costuma ter os preços mais baixos entre os pé-na-areia de Palm Beach. É o maior hotel de Aruba em número de quartos, que estão divididos entre vários blocos. Já faz um bom tempo que eles estão renovando o hotel e que eu saiba, a maioria dos blocos já está pronta. Eu nunca me hospedei nele, mas eles tem um bom trecho de praia e também tem piscina de entrada zero, que é uma mão na roda para bebês e crianças pequenas. O ponto forte dele, sem dúvida, é a localização: bem em frente a um shopping e com muitas opções de bares, restaurantes e lojas a poucos passos. Se você quiser saber como está o hotel, leia os comentários de quem se hospedou lá e faça a sua reserva aqui.

holiday inn

Piscina de entrada zero

Playa Linda

O Playa Linda é um timeshare que fica exatamente no meio de Palm Beach, tanto se você considera o trecho de praia quanto se você considera a zona de bares e restaurantes. Ele é um timeshare que tem quartos bem confortáveis, que variam de um studio até um apartamento com 2 quartos, ideal para uma família grande. Eu adoro as piscinas de entrada zero, com umas quedas d’água que fazem sucesso entre adultos e crianças. Pelo booking é possível reservar o studio e o apartamento de 1 quarto. Se você vier em um grupo maior ou quiser saber qual o preço de uma semana alugada diretamente com o proprietário, mande um email para info@guiadearuba.com que eu posso verificar os os preços da semana em questão.

playa linda

Hyatt

O Hyatt é sinônimo de elegância e sofisticação. Os quartos são luxuosos, os restaurantes impecáveis e o paisagismo é de babar. O único inconveniente que eu vejo é a falta de acessibilidade da área externa, que tem uma quantidade impressionante de degraus. Por isso, eu não recomendo para idosos ou pessoas com dificuldade de locomoção. Em compensação, para quem tiver crianças  maiorzinhas, o tobogã da piscina é certeza de diversão. Leia os comentários de quem já ficou aqui e faça a sua reserva aqui.

hyatt

Barceló

É um all inclusive famoso pelos excelentes quartos e bom serviço, recomendado para quem gosta do sistema. Se você está no esquema de curtir só o hotel e não fazer passeios, essa é uma boa pedida. Reserve com grande antecipação, porque eles vivem lotados. Leia os comentários de quem se hospedou lá e faça a reserva aqui.

occidental

Brickell Bay

Na parte de trás do Barceló, está o Brickell Bay, que costuma ser uma alternativa econômica para quem só precisa uma boa cama para dormir e uma boa localização. A estrutura dele se resume a uma piscina pequena, mas os hóspedes que querem aproveitar a praia podem  ir ao quiosque do hotel situado à beira mar, onde existem espreguiçadeiras à disposição do hotel. O restaurante é bem simples, mas o que não faltam são opções de bares e restaurantes a poucos passos do hotel. Tenha em conta que recentemente, eles passaram a aceitar somente adultos, assim que não é uma opção para famílias. Leia os comentários de quem se hospedou por lá e faça a sua reserva aqui.

Hilton Aruba

Não tem como não gostar, o Hilton é completo, tem localização, praia, estrutura e charme. Além disso, ao meu ver, o melhor hotel de Aruba para crianças pequenas e pessoas com dificuldade de locomoção. A área externa, além de linda, é totalmente acessível, sem nenhum degrau, assim como as piscinas. Já me hospedei lá e fiz três posts, onde eu comento o quarto, a estrutura e a área externa.  Faça a reserva aqui.

radisson

RIU

O RIU e o RIU Antillas (só para adultos) são all-inclusive e provavelmente sejam os hotéis que mais recebem brasileiros em Aruba. Em termos de estrutura é praticamente só a piscina e a praia, mas vale por estar bem localizado.

riu

The Mill

Em frente ao Riu Antillas, na rua de trás, uma ótima opção, com quartos confortáveis e com cozinha completa. Ele é muito bem cuidado e mantido, temos amigos e familiares que já se hospedaram lá e sempre estão satisfeitos. Para chegar ao centrinho de Palm Beach é preciso dar uma andadinha de uns 5 min. Leia comentários sobre o hotel e faça sua reserva aqui.

Divi Phoenix

O Divi Phoenix fica bem na pontinha de Palm Beach, já chegando em Eagle. Ele faz parte de uma rede holandesa que tem outros cinco hotéis em Aruba. O Divi Phoenix funciona em sistema de timeshare e comprou o primeiro edifício de outro hotel que havia lá. Esse edifício foi mantido, é a torre e ao lado dela foram construídos vários blocos novos, onde dizem que os quartos são melhores. Eu nunca me hospedei lá, assim que recomendo que você leia os comentários de quem já ficou. O hotel tem duas coisas que todo mundo gosta: cozinha completa no quarto e churrasqueira na área externa que pode ser alugada. Por isso, como todo timeshare, recomendo muito para famílias. A área do hotel é bem ampla, assim como a extensão de praia. Só que nesse trecho não havia areia, era um trecho pedregoso, então eles fizeram algo como Baby Beach, construíram um muro de pedras em um certo trecho e essa baía se encheu de areia. Deu muito certo para eles e como a região não tem gente em trânsito, eles provavelmente têm o trecho de mar mais cristalino de Palm Beach. Para chegar ao centrinho de Palm Beach, é preciso dar uma caminhada boa. O conjunto de piscinas, bares e restaurantes está espalhado por diferentes áreas do hotel e é bem legal. Se você quiser fazer uma reserva, clique aqui. Se você estiver buscando um precinho camarada de algum proprietário, escreva para info@guiadearuba.com que eu vejo a disponibilidade e preços para as datas que você estiver procurando.

divi phoenix

Hotéis de Eagle Beach

Em Eagle Beach, os hotéis costumam ser únicos, não de rede, alguns são familiares, vários são do tipo timeshare e alguns pertencem a uma rede holandesa. Existem dois trechos distintos, o trecho mais próximo a Palm Beach é um trecho de calçadão e o trecho mais perto do centro é um trecho de hotéis pé-na-areia.

Trecho de Calçadão

Blue Residences

O primeiro hotel, no meio do caminho entre Palm Beach e Eagle é o Blue. Ele fica bem na pontinha de Eagle, já chegando em Palm Beach. O nome dele é residences porque ele funciona num mixto de hotel e apartamento residencial. Os apartamentos estão à venda e quem compra pode usar o período que quiser e no período em que ele não estiver usando, o apartamento é alugado por dias no esquema de hotel. Os quartos são muito bonitos, espaçosos e sofisticados. Todos os quartos são suíte com cozinha completa e 1, 2 ou 3 dormitórios. A vista é de babar, como vocês podem ver na foto. A parte não tão boa é que ele está no meio do caminho, portanto isolado tanto dos restaurantes de Palm Beach quanto dos restaurantes e bares de Eagle Beach. A praia na frente do hotel foi feita por eles, porque este trecho era pedregoso. Eu nunca fui, mas leitores aqui do blog que se hospedaram lá adoraram a prainha, sinal que eles trabalharam bem. Leia comentários de hóspedes e faça a sua reserva aqui.

vista de um dos apartamentos

Vista de um dos apartamentos

Amsterdam Manor

Esse é um hotel familiar fundado por uma família de holandeses que veio morar em Aruba há alguns anos atrás. É a mesma família que dirige o hotel até hoje e a arquitetura do lugar é o estilo colonial holandês. É um hotel pequeno e muito bem cuidado, um quatro estrelas que se esmera no serviço. Os quartos tem uma mini-cozinha. Tem a fama de ficar em frente ao melhor trecho de praia da ilha e é dos favoritos de casais em lua-de-mel. Leia os comentários dos hóspedes e faça a sua reserva aqui.

amsterdam manor

La Cabana

Esse é um timeshare que compartilha esse trecho espetacular de Eagle Beach com o Amsterdam Manor e o Paradise Villas. Eles renovaram recentemente todo o hotel, começaram pelo lobby, que ficou lindíssimo e agora estão com os últimos quartos. Além do trecho de praia ser ótimo, a área externa é bem grande e a estrutura bem completa: piscinas, toboágua, bares, restaurantes, spa, parquinhos, muita área para crianças correrem e também bastante sombra disponível. Se você estiver interessado em uma semana no La Cabana, é possível encontrar por $1000 na baixa temporada, quando alugando direto de um proprietário. Quem estiver interessado em alugar semanas de timeshare, mandem um email para info@guiadearuba.com e eu digo o preço e a disponibilidade para o período que vocês vierem.

la cabana

Tropicana

O Tropicana é outro timeshare e fica atrás do La Cabana, portanto não está na rua da praia. Antes ele fazia parte do La Cabana e tinha o nome de La Cabana 2. Os quartos são bem grandes nos dois hotéis, e agora eles estão passando pela renovação que o La Cabana teve em 2015. Talvez por isso, ele tenha excelentes tarifas que fazem que ele seja uma das boas pechinchas de Aruba. Os quartos são enormes e confortáveis, a área externa é grande, com duas piscinas, uma com tobogã, outra com cachoeira. Ele fica em frente a um dos maiores supermercados da ilha, o que faz que seja bastante econômico ter tanto a cozinha quanto o supermercado à disposição. Os comentários dos hóspedes são muito bons, assim que se você quiser se hospedar no Tropicana, clique aqui. Se você quiser alugar a semana de um proprietário e hospedar-se de maneira mais econômica ainda, mande um email para info@guiadearuba.com e eu verifico os preços e a disponibilidade para a semana desejada.

tropicana

Paradise Beach Villas

O Paradise também fica no melhor trecho de Eagle Beach, é menor que os vizinhos e tem uma área externa mais simples. Ele também funciona em regime de timeshare e aluga os quartos para não proprietários quando estes não vão utilizar essa semana. Se você tiver interesse no Paradise ou em algum outro timeshare, escreva para info@guiadearuba.com que eu vejo a disponibilidade.

paradise beach villas

MVC

O MVC é um hotel bem pequenininho, com apenas 19 quartos, super bem posicionado num dos melhores trechos de praia da ilha e segundo muitos leitores do blog, tem um atendimento impecável. Some-se a isso, o fato de que ele tem ótimas tarifas e um restaurante bem conceituado. Se você não precisa de estrutura, só precisa de um bom quarto, bom preço e bom serviço, não precisa procurar mais. Leia os comentários de outros hóspedes e faça a sua reserva aqui.

La Quinta

O La Quinta já fica um pouquinho mais escondidinho, porque a frente dele não dá para a praia, os fundos dele sim (não sei quem foi o arquiteto…) e é resumidamente: pequeno e bem cuidado. Tem dois edifícios, cada um com sua piscina e é o típico gracinha, dá gosto de ver como é bem mantido.

la quinta

La Quinta

Trecho pé-na-areia

Costa Linda

Costa Linda, é um dos maiores timeshare de Aruba. Especialmente indicado para famílias grandes, pelo tamanho dos seus quartos: todos são suítes com 1, 2 ou 3 quartos. Os de três quartos têm churrasqueira na varanda, os outros podem usar a churrasqueira na parte de baixo do hotel. O Costa Linda é superlativo: o hotel é enorme, os quartos são gigantescos, ele tem um sem-fim de atividades para os hóspedes e o trecho da praia é bem comprido. Eles tem até um mini-cinema ao ar livre. Leia os comentários de quem se hospedou aqui e mande um email para info@guiadearuba que eu vejo a disponibilidade de quartos e preços para a semana que você estiver interessado.

costa_linda_piscina

Bucuti

No trecho de praia seguinte está o hotel boutique de Bucuti & Tara. O Bucuti tem tantos prêmios e tantas particularidades que vou tentar resumir. É o hotel mais premiado de Aruba e um dos mais reconhecidos do Caribe. O motivo? Ele é impecável para o que se propõe: um hotel para escapadas românticas de casais.  Ele tem um atendimento personalizado, o dono recebe todos os hóspedes e costuma estar sempre lá, além de todo o staff, treinado para realizar os mínimos desejos dos hóspedes. É totalmente focado em casais/adultos e não aceita crianças. É o único hotel grande que abertamente recebe pessoas de qualquer orientação sexual. É um hotel totalmente verde, muito além daquela coisa de não deixar a toalha no chão: todo o edifício é pensado para reaproveitamento da energia e da água, não usam utensílios de plástico, priorizam produtos locais, bom, um sem fim de práticas que vale a pena conhecer só para ver as muitas formas de colaborar com o meio ambiente. Oferecem pacotes de férias e casamentos “verdes”, além dos normais. Nunca me hospedei lá, mas a área externa é impecável, não tem como notar a excelente manutenção dos edifícios e o paisagismo. Leia os comentários de quem se hospedou lá e faça as suas reservas aqui.

bucuti

Bucuti

Manchebo

O Manchebo é outro hotel que se dedica ao turismo para casais. Todo o hotel é pensado para dar uma atmosfera romântica, com um spa à beira mar, restaurantes com um clima especial e o atendimento é muito pessoal. Apesar do hotel aceitar crianças, cabe no máximo uma a mais no quarto. O hotel é tão pensado para casais que não existem quartos com camas separadas. Eles têm poucos quartos e por isso mesmo, é muito concorrido, normalmente é preciso fazer reservas com meses de antecedência para conseguir um quarto. Ele tem uma opção de all-inclusive para os hóspedes que assim desejem. O dono do hotel mora lá e costuma receber seus hóspedes e o trecho de praia é sensacional. Leia os comentários de quem se hospedou lá e faça a sua reserva aqui.

praia manchebo

Trecho de praia do Manchebo

Aruba Beach Club

Se tem um hotel que eu conheço bem é esse. Ele é um timeshare onde meus sogros tem uma semana. Foi na piscina deles que meu marido aprendeu a nadar e pretendemos comprar a nossa semaninha lá este ano. Foi lá também que eu trabalhei por quatro meses cobrindo uma licença maternidade, então eu sei das condições dos quartos e da manutenção. Por isso, eu recomendo de olhos fechados: os quartos são espaçosos (tem studio para até 4 pessoas e suíte de 1 quarto para 5 ou 6 pessoas), com cozinha completa e tantos os móveis quanto as roupas de cama estão sendo constantemente renovados. O parquinho é uma gracinha e fica conveniente perto das piscinas, o que faz que as crianças gastem energia o suficiente se dividindo entre parque e piscina. O trecho de praia justo em frente é pedregoso, mas o trecho do lado direito em direção ao Manchebo é ótimo e para quem gosta de ondinhas, essa é a sua praia. Ao contrário das outras praias de Aruba, em que o mar é bem calminho, o trecho em frente ao ABC e Casa Del Mar é mais agitado para os padrões locais. Fica em frente ao shopping Alhambra, com boas opções de lojas, mercado, bares e restaurantes, além do Cassino Alhambra. Na baixa temporada (entre abril e novembro) dá para encontrar preços incríveis através das semanas alugadas pelos proprietários, menos de $900 por uma semana num pé-de-areia em Aruba. Se você quiser alugar uma semana, mande um email para info@guiadearuba, que eu vejo os preços e a disponibilidade para você.

Aruba Beach Club

Aruba Beach Club

Casa Del Mar

Até alguns anos atrás, o Casa Del Mar e o Aruba Beach Club eram blocos separados de um mesmo hotel e até hoje eles compartilham as facilidades dos hotéis, embora  sejam administrados por separado. O Casa Del Mar acabou se especializando em famílias maiores, por isso no edifício principal todos os quartos são suítes com 2 quartos que abrigam até 6 pessoas. Do outro lado da rua, eles têm outro edifício, que não é pé-na-areia com suítes de 1 quarto para até 4 pessoas. Os quartos são ótimos e foram totalmente renovados em 2013. O trecho de praia bem na frente do CDM é pedregoso, assim como o do ABC, mas se vc der só uns passinhos mais à esquerda vai estar na praia do Divi All Inclusive, que é maravilhosa. Nós já nos hospedamos duas vezes no CDM, sendo que a última em outubro de 2014. Na frente dele está o shopping e o cassino Alhambra. Como todos os timeshare, é possível conseguir quartos grandes por um preço impossível de se conseguir em Palm Beach para toda uma semana. Se você estiver interessado em alugar uma semana, mande um email para info@guiadearuba informando para quantas pessoas e qual a semana procurada que eu mando os preços e a disponibilidade.

vista da piscina

Divi All Inclusive e Tamarijn All Inclusive

Esses all inclusive fazem parte do mesmo grupo e compartilham suas facilidades. Embora eu não seja a favor de sse sistema em Aruba, se eu tivesse que recomendar um em Aruba, seria um desses dois. Um dos diferenciais é a variedade de equipamento esportivo à disposição dos seus hóspedes. Todo equipamento de esporte aquático não motorizado está à disposição dos clientes: caiaques, pranchas de surf, equipamento de snorkel e windsurf. Eles também têm bicicletas de todos os tipos: masculinas, femininas, infantis e com cadeirinha para bebês. Lá está a única rocha para escalada da ilha. E também eles oferecem muitos tipos de curso para os hóspedes, como aulas de dança, jogos de tabuleiro, jogos de cassino e até papiamento. Na minha opinião, eles têm um dos melhores trechos de praia de Aruba e como se isso não bastasse, eles também têm a maior extensão de praia da ilha, mais de 1 km, o que faz com que eles também tenham o maior número de quartos pé-na-areia. Sabe aquela coisa de sonho de ter um quarto, com uma varanda que dá na praia, onde tem uma rede entre dois coqueiros? Assim. Leia comentários de quem se hospedou lá e faça a sua reserva aqui.

trecho de praia Tamarijn

Quartos pé-de-areia do Tamarijn

 

vista das cabanas do Divi Aruba

Cabanas de piscina do Divi Aruba

Divi Golf e Divi Dutch Village

Do outro lado da rua estão os outros dois hotéis do grupo: o Divi Dutch Village e o Divi Village Golf & Beach Resort. Estes hotéis não são pé-na-areia, eles ficam do outro lado darua, como praticamente todos os hotéis de praia do Brasil. Os dois funcionam em esquema de timesharing e compartilham suas facilidades. O Divi Golf  é bem novo, tem uns dez anos e tem um campo de golfe, vários lagos e é o maior resort de Aruba em termos de terreno ocupado. Ele foi construído numa área que tinha vários lagos e tem um paisagismo muito legal, que incorporou os lagos, o campo de golfe, as piscinas e os edifícios do hotel. Os quartos são muito bons e espaçosos, todos têm cozinha completa e alguns têm uma jacuzzi na varanda. Os quatro hotéis Divi tem um shuttle que leva seus hóspedes a outras partes de Eagle Beach, incluindo o cassino Alhambra, que pertence ao grupo dono dos hotéis. Leia os comentários dos hóspedes e faça a sua reserva aqui.

vista da piscina infinita do Divi Golf

Vista da piscina infinita do Divi Village Golf

 Hotéis de Oranjestad

De momento existem dois hotéis no centro, mas estão em planejamento dois mais: um hotel para viajantes de negócios na Mainstreet e um hotel-boutique no aeroporto. O melhor de ficar no centro é ter diversão e compras por perto sem ter que alugar carro e por preço justo. Quinze anos atrás quando ainda não existiam shoppings nem restaurantes em Palm Beach, existia Oranjestad, que concentrava todas as compras e toda a vida noturna. Existem muitos, mas muitos restaurantes, tanto nos shoppings quanto fora deles, dois cassinos grandes, sendo que um deles é 24h. No linear park, o parque linear que vai dos jardins do Renaissance até o aeroporto, também tem alguns barzinhos, tanto na praia quanto na praça e tudo vive lotado de segunda a segunda. A variedade de lojas é maior do que em qualquer parte da cidade, então você não precisa se preocupar em reservar um dia para fazer compras, qualquer dia pode ser esse dia. O público em sua maior parte é de locais, o que faz com que a experiência do turista seja diferente das outras zonas hoteleiras.

Renaissance

O Renaissance tem dois edifícios separados – um se chama Marina e o outro Ocean Suites – e uma ilha particular, chamada Sonesta. O Marina é um adults-only, não se permite crianças. Nesse edifício fica o Crystal Casino, o único cassino 24 horas de Aruba. Também nesse edifício está o shopping mais chique de Aruba com marcas exclusivas como Louis Vitton, Custo, Gucci, BCBG, Michael Kors, etc. Leia comentários de quem se hospedou no Renaissance e faça a sua reserva aqui.

Os hóspedes de ambos os edifícios tem acesso à ilha particular do hotel. Todos os dias, a cada 15 ou 20 min. sai uma lancha do edifício principal para a ilha. A ilha e o passeio de lancha são uma atração à parte. A ilha tem um bar grande e se divide em duas praias, assim como os hotéis. Uma é a praia dos flamingos, reservada só para adultos e onde é permitido fazer topless e a outra é a praia das iguanas, para o público familiar. Se você quiser alugar uma semana no Renaissance Ocean Suites, escreva para info@guiadearuba.com que eu verifico a disponibilidade de quartos e preço.

Renaissance Ocean Suites

Renaissance Ocean Suites

praia dos flamingos

Praia dos Flamingos na ilha privada

Talk of The Town

O Talk of The Town, que fica em frente à Plaza di Turismo, no linear park, que é a praça que termina em Surfside Beach, uma praia que eu adoro para ir com crianças, porque fica numa baía e não tem ondas, o mar é calminho, calminho. Não conheço o hotel por dentro, mas dois anos atrás eles fizeram uma grande renovação,

A maioria dos hotéis está sempre novando e eles costumam renovar tudo, mas tudo mesmo, a cada cinco ou seis anos. Como o mercado hoteleiro é bem competitivo, eles precisam estar renovando para não ficar para trás. Cada vez que há uma renovação, eles vendem, normalmente a preço de banana, para os empregados (alguns revendem, hehehe) todos os móveis do quarto e alguns trocam inclusive todo o banheiro e/ou cozinha. Uns amigos que ficaram no Costa Linda recentemente dizem que a cozinha do quarto é top de linha, novinha em folha.

O mais importante para saber de Aruba é que não existe hotel ruim nem praia ruim, assim que elimine essa preocupação da sua cabeça. Mesmo os hotéis mais simples não são o tipo de simples que vêm à cabeça de um brasileiro. São simples para o padrão da ilha: sempre vão ter uma cama king size, um quarto muito espaçoso e um balcão, e provavelmente estariam num padrão de 3 a 4 estrelas no Brasil.

Muita gente pergunta qual é o melhor hotel de Aruba e eu sinceramente não saberia responder. Dizem que o mais luxuoso é o Hyatt, onde fica a família real, mas eu gosto mais das piscinas e da área externa do Hilton e do Marriott. A área externa do Divi Village Golf é de babar: não tem como não se impressionar pelo conjunto dos lagos com campo de golfe, com piscina infinita, com o restaurante envidraçado que te dá a sensação de estar flutuando. E eu não canso de ouvir elogios ao Bucuti e ao Manchebo, com seu atendimento personalizado. Os praticantes de esporte e amantes de praia são público fiel do Divi Aruba e do Tamarijn e não tem quem não goste da piscina com correnteza e o super cassino do Marriott. O Amsterdam Manor tem seu público fiel assim como o Costa Linda. Assim que escolher o hotel para ficar depende mais do tipo de experiência que você quer ter do que de um suposto ranking.

Procurando hotel em Aruba?

Se você fizer sua reserva através dos links aqui do blog, a eu ganho uma comissão. Essa é uma forma de apoiar o Guia de Aruba e ajudar a criação de mais conteúdo. O preço é o mesmo do Booking, você não paga nada a mais para mim, mas o booking sim. E eles sempre têm os melhores preços, você pode cancelar quando quiser e tem suporte em português se precisar.

Quando o carteiro chegou e o meu nome gritou com uma carta na mão

caixa de correio

Tem algumas coisas que funcionam no Brasil e que muita gente não dá valor. Uma delas é são os correios. A minha experiência com o correio brasileiro sempre foi excelente. Já em relação aos outros países que morei, dá pra fazer um ranking.

O correio holandês é impecável. Tudo o que você manda ou recebe vem a tempo, ninguém abre nada nunca. Minha mãe mandava sedex do Brasil e demorava quatro dias para chegar em Delft. Isso porque o pacote saía de Campo Grande. Imagino que se saísse de São Paulo, um dia seria economizado.

Então, voltamos a morar na Espanha. O mesmo sedex passou a demorar duas semanas para chegar. O sistema de correios do Brasil permite que você saiba exatamente onde está o seu pacote através de um sistema de rastreamento: a caixa tem um código de barras que é lido em cada lugar que ele chega. E nós comprovávamos que dois dias depois de enviado lá em CGR, o pacote chegava em Madrid. O que ele ficava fazendo lá nos doze dias seguintes até ser entregue para mim, eu nunca fui capaz de entender. Fora os extravios. Cartas simples enviadas da Holanda demoravam dez dias para chegar, quando chegavam. Uma vez enviamos um pacote com presentinhos para um bebê de uma amiga que nasceu na Holanda e o pacote sumiu. Como não tínhamos feito seguro (nunca imaginamos que precisássemos fazer um seguro para um sedex), só ouvimos umas desculpas e nada foi feito. Também sumiram ou foram devolvidos alguns pacotes enviados para nós, sem nenhuma explicação plausível. Quando a filhota nasceu, mandamos cartões de nascimento (nem sei se existe esse nome em português, mas é uma tradição holandesa – geboortekarten). Já quem recebeu e quem não recebeu e quando recebeu foi uma loteria. Nossos amigos holandeses receberam os cartões um dia depois de postado. Começamos a receber os telefonemas de parabéns no dia seguinte, incrédulos. Os cartões enviados para a Espanha chegaram uma semana depois.

E os de Aruba demoraram meses. Sim, meses, porque os correios daqui batem todos os recordes de ineficiência que existem. Hoje eu recebi uma carta enviada no Brasil no dia 10 de março, parece piada. E as cartas enviadas para qualquer parte do mundo também demoram, em média, dois meses para chegar. Todos os pacotes enviados por sedex pela minha mãe chegam abertos. Até agora nunca sumiram com nada do que tinha dentro, mas eles sempre abrem para dar uma conferida.

Mas, curiosamente, as contas de água, luz, telefone e a publicidade comercial sempre chegam a tempo. Outro fato incompreensível para mim, é o fato dos correios entrarem de férias coletivas no Natal e Ano-Novo. Sabe aquela época quando mais usam os serviços de correio? Mesmo que o hábito de mandar cartões de Natal tenha praticamente desaparecido, o de mandar presentinhos para quem mora longe não. E ainda mais num país em que muitos jovens estão fazendo faculdade fora

As Quatro Estações

jardim da casa da minha sogra

Antes de morar aqui, eu tinha a idéia errônea de que Aruba não tinha estações: eu pensava que sempre era o mesmo de calor e de úmido. Essa idéia foi em parte influenciada pelas muitas vezes que vi o outdoor perto da Arubahuis em Haia, que diz Nu op Aruba: 27oC (Agora em Aruba: 27oC), tentando animar os infelizes transeuntes holandeses a visitar a ilha, fugindo da chuva e do vento eternos. Mas, sem dúvida, estamos na primavera. A ilha está toda florida e até a velha alergia a pólen está presente.

É claro que o clima aqui não tem estações tão definidas quanto na Europa, mas a diferença entre conhecer a ilha em julho ou janeiro é grande. Eu diria que as maiores diferenças são: as temperaturas mínimas e o vento. Em janeiro, no inverno tropical, as temperaturas máximas variam entre 29oC e 31oC, enquanto as mínimas rondam os 21oC, o que significa que à noite e de manhã tem um frescor delicioso, acompanhado por uma eterna brisa.

Já o verão…Bom, para quem vem de férias e vai ficar na praia o tempo todo, imagino que não faça muita diferença, mas morar aqui entre julho e meados de setembro é jogo duro. As máximas são de uns 33oC, mas a mínima passa a ser 27oC, o que significa que o tempo nunca refresca. Além disso, o vento desaparece, mas a umidade não. Então a vida passa a ser mais ou menos assim:

– você toma banho e ao se secar, já está suando;
– os batons se derretem na bolsa e se você tenta usar maquiagem, arrisca-se a ficar parecida com um palhaço assustador com a maquiagem escorrendo;
– você resolve ir à piscina e a água está morna;
– você entra no mar e a água está morna;
– você toma banho e a água varia entre quente insuportável e morna;
– você põe uma camiseta de manga curta na sua filha e troca logo a seguir por uma de alcinha, por medo dela suar muito;
– você sua, sua e sua;
– você troca de roupa e toma banho várias vezes ao dia, mas só é capaz de refrescar mesmo se houver ar condicionado.

Eu ainda não tenho uma idéia clara de como é o outono aqui, porque no ano passado tivemos O Dilúvio, considerado fora do normal e refrescou tanto que deixamos de ligar o ar condicionado. Dormir só com o ventilador, mesmo com a porta do quarto fechada, já era refrescante o suficiente. Outra coisa que fez diferença no último outono foi a invasão de mosquitos. Com a chuva e toda a água disponível, eles se reproduziram como loucos. Todas as casas ficaram infestadas e passar loção antimosquito no corpo várias vezes ao dia tornou-se um ritual obrigatório. Os mosquitos estiveram presentes na nossa vida por um longo tempo e só agora, depois alguns meses de seca é que eles deram uma trégua.

Por isso, tenha em mente essas particularidades climáticas se estiver planejando uma visita à ilha. :)

A mania do ar condicionado

Os arubianos a-do-ram ar condicionado. E bem frio. Já cheguei a ficar com o lábio roxo no TGI Friday’s. Em qualquer lugar que você vá, o famigerado aparelho está ligado lá nas alturas: lojas, restaurantes, supermercados e até nos colégios. Todas as salas de aula têm ar condicionado, inclusive os pais tem que pagar uma taxa anual à parte para cobrir esse gasto.

Normalmente, nos estabelecimentos comerciais, a temperatura varia entre 17oC e 18oC. Considerando que do lado de fora, durante o dia, a temperatura sempre está lá pelos seus 30 e tantos graus, isso significa um belo choque térmico.

É algo bem típico daqui mesmo. Quando estivemos em Curaçao, não tive esse choque térmico em nenhum restaurante. Todos tinham ar condicionado em temperaturas agradáveis.

Isso eu aprendi meio que na marra da primeira vez que vim: peguei um belo resfriado e fiquei rouca durante as quase duas semanas que estive. E é assim que os turistas também aprendem. A idéia de trazer um casaco para Aruba parece estranha, mas é uma boa pedida, especialmente para aqueles que vêm com crianças. Assim que, para evitar surpresas desagradáveis nas férias, é bom ter um casaco guardado na bolsa para as crianças (ou até uma calça comprida, minha filha já gripou por estar de short e casaco num restaurante); para as mulheres, um casaquinho tipo da vovó e para os homens um moletom fino.

Água potável em Aruba

A água de torneira de Aruba não só é potável, mas também é de excelente qualidade e ótima para beber. Essa água que sai da torneira não é apenas purificada, mas sim destilada. Na verdade é a mesma água usada para fabricar a cerveja e os refrigerantes produzidos na ilha. Por ser de melhor qualidade que uma água simplesmente purificada, ela também é caríssima, mas isso é assunto para outro post.

Até um tempo atrás, não havia água mineral em Aruba, simplesmente porque ninguém via a necessidade. No entanto, muitos turistas não conhecem a qualidade da água arubiana e desconfiados, passaram a procurar água mineral nos supermercados. Foi então que a mesma empresa que fabrica cerveja e refrigerantes decidiu engarrafar a água que eles destilam e vender. Ela não é água mineral, nem tenta ser. O seu nome é AWA, ou água em papiamento. E nos supermercados também estão disponíveis algumas marcas de água mineral importada.

agua engarrafada

Se você vier para Aruba como turista, até pode comprar essa água simplesmente pela praticidade de ter uma garrafa para levar a outros lugares, mas eu não recomendo que ninguém compre por medo de tomar a água da torneira.

Outra coisa curiosa em Aruba a respeito da água é que aqui não existe água quente para tomar banho. Melhor dizendo, não existem chuveiros elétricos nem caldeiras de água. Pelo menos, eu nunca vi em nenhuma casa. A maioria dos hotéis têm caldeira mas alguns mais simples não e com certeza nenhuma pousada tem. Aqui se toma banho com a água que sai da ducha. Normalmente, se você espera alguns segundos, a água já começa a sair morninha.

ducha

Em julho e agosto, no alto verão, é quase impossível tomar banho antes das 18h porque a água sai quase queimando. Nessa época também é duro lavar a louça logo depois do almoço pelo mesmo motivo. Essa lógica só não deu certo em 2010, quando tivemos O Dilúvio. Graças ao fenômeno La Niña, choveu diária e torrencialmente por quatro meses seguidos e continuou a chover por três meses mais, só que já não todos os dias. Chegamos a ficar mais de uma semana sem ver o sol e a água quentinha sumiu. Aqui em casa, viramos todos gatos escaldados, passamos a tomar banhos rápidos, molhando o mínimo possível, hehehe.

A filhota voltou a usar a banheira (com água morna esquentada no fogão) que já estava aposentada há mais de um ano, porque não tinha quem a fizesse entrar no chuveiro. Como os meses foram passando e a chuva não parava, pensei em pedir que a minha mãe mandasse um chuveiro elétrico do Brasil, mas só então reparei que os banheiros daqui não tem instalação elétrica para por um.

De todos os modos, nos outros anos não tivermos La Niña e pudemos contar com água morna para os banhos.

Aruba e o reino holandês

mapa do caribe holandês

A Holanda colonizou seis ilhas no Caribe. Essas ilhas antigamente chamavam-se Antilhas Holandesas (os portugueses dizem Caraíbas) e a capital era a cidade de Willenstad, em Curaçao. Todos os habitantes dessas ilhas são holandeses, não existe uma nacionalidade ou um passaporte arubiano, por exemplo. Eles são holandeses e podem morar em qualquer país da União Européia.

As ilhas do caribe holandês são divididas em dois grupos, tanto geograficamente quanto culturalmente. As três ilhas do norte são pequenas ilhas vulcânicas e falam inglês. Sint Maarten é uma ilha dividida entre território holandês (a parte sul da ilha) e território francês, a parte norte da ilha que se chama Saint Martin.

As três ilhas do sul são as chamadas ilhas ABC: Aruba, Bonaire e Curaçao. Elas estão situadas ao longo da costa venezuelana (já houve época em que a Venezuela reclamou posse das ilhas) e compartilham o mesmo idioma: papiamento.

Aruba fez parte das Antilhas Holandesas até 1986, quando uma luta política de mais de cinquenta anos foi compensada com um status apart dentro do Reino Holandês. Isso significa que Aruba tem seu próprio governo e decide como usar o dinheiro dos seus impostos, mas continua fazendo parte do reino holandês. As outras ilhas continuaram a fazer parte das Antilhas até janeiro deste ano, quando as Antilhas Holandesas foram dissolvidas. Agora, Curaçao e Sint Maarten também tem um governo autônomo, enquanto Bonaire, Saba e São Eustáquio passaram a ser municípios da Holanda.

Atualmente, existe um movimento separatista grande em Curaçao. Esse  movimento apóia que Curaçao seja um país à parte e desvincule da Holanda totalmente. De momento, não existe nada parecido em Aruba, embora exista um partido político com posições bem “anti-Holanda”. Eu acho uma bobagem abrir mão da nacionalidade holandesa e de todas as vantagens do sistema de educação com seu sistema de bolsas de estudo para todos os jovens que continuam os seus estudos depois do ensino médio. Mas caso isso aconteça algum dia, nós já temos o nosso plano de escape: ou nos mudaríamos para a Espanha de volta e eu passaria a minha nacionalidade espanhola para a minha filha e meu marido ou eu passaria a nacionalidade só para ela poder ir estudar na Europa. 😉

O Que Será

Meus amigos sabem que não sou muito de escrever mails. Quando eu me animo, sempre são mails coletivos não muito frequentes. E ao mesmo tempo, eu tenho vontade de contar muita coisa e acho que preciso fazê-lo enquanto ainda tenho olhos curiosos, que não se acostumaram à nova cultura.

Eu, hoje, não poderia escrever um blog sobre a Espanha porque morei tanto tempo lá que me acostumei com coisas que parecem diferentes para turistas e recém-chegados.

Apesar de ser má correspondente, meus amigos que não desistiram de mim sempre perguntam coisas como: Como é a vida aí em Aruba? Você mora na praia? Como é o custo de vida? A idéia é responder esses e outros tipos de perguntas, além de dar dicas para turistas.

A minha visão de Aruba, que pretendo expor aqui, é totalmente pessoal e sujeita a mudanças, à medida que o tempo passe. Os leitores que tiverem dúvidas, podem perguntar e serão recompensados com posts explicativos.

Bon bini!